publicidade:

Radiocultfm

Diversidade Cult

Sons que Vêm da Serra mostra novos rostos e pensamentos

Os Bardos da Pangeia – divulgação

Por Luck Veloso – Em tempos bicudos para a cultura brasileira, a iniciativa “Sons que Vêm da Serra” da Honey Bomb Records, em parceria com a Natura Musical, despeja luz sobre importantes temas que devem participar cada vez mais dos papos, seja em que roda for, promovendo a pluralidade tão necessária dos dias atuais.

A coletânea reúne os artistas Slam das Manas, Jagunço, Gabrre, Araucana, Bloco da Ovelha, TeTo, OLO e Os Bardos da Pangeia, contando ainda com parcerias entre Maria Rita Stumpf e João Gôsto e entre a banda Não Alimente os Animais e o senegalês Mohamed Aw.

O projeto foi possível através do edital Natura Musical, que em 2018 obteve financiamento da Lei de Incentivo à Cultura Pró-Cultura RS, através da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Um grande passo que se destaca na contramão do que vem sendo imposto pela grande maioria dos governantes do Brasil atualmente.

Gosta de boa música né? Clique aqui e conheça nossos Podcasts!

O edital, criado em 2014, vem realizando grandes projetos, oferecendo recursos e claro, mostrando as novas caras musicais para um Brasil que absorve, merece e precisa de cultura. “O Natura Musical foi criado para valorizar a diversidade e identidade da música brasileira”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.

Slam das Manas faz parte do projeto, com música e poesia em “Palavra é a Visão”.

Slam das Manas
Slam das Manas – divulgação

Caxias do Sul vem sendo uma importante usina para novas criações. Prova disso é o grupo “Slam das Manas“, que faz parte da coletânea. Surgido em 2018 como um braço feminino do Slam Poetiza, é formado por Polliana Abreu (28), Jamille Santos (17) e Yuri Bennihur (17) e dá mais um importante peso à importante e necessária luta de mulheres, bissexuais, lésbicas e trans, por um espaço na sociedade e, melhor que isso, respeito.

Assista ao clip de “Palavra é a Visão”:

Além da sadia discussão e esclarecimetno em torno da questão de identidade de gênero, projetos como o Slam das Manas, ajudam a propagar uma pluralidade altamente necessária, desde sempre e ainda mais nos dias atuais. O movimento se fortalece ainda mais ao surgir em um eixo além do Rio – São Paulo, fomentando ideias sólidas sobre a questão de boa convivência, entre tudo e todos. Conheça e propague!

3 thoughts on “Sons que Vêm da Serra mostra novos rostos e pensamentos

  1. Muito massa ver a propagação da diversidade mesmo em tempos em que tentam nos calar a todo custo.
    Foi uma experiência enriquecedora para nós! Obrigada pelo espaço!
    Mas não somos braço do Slam Poetiza não, hahaha. Somos um corpo inteiro. É por isso que estamos aqui, para que nos espaços das manas sejamos reconhecidas como protagonistas das construções feita por nós mesmas, nós somos parte da cultura de rua, e temos o prazer de compartilhar esse palco aberto com Slam Poetiza, que veio antes e nos ensinou tanto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo