publicidade:

Radiocultfm

Diversidade Cult

Protestos no Chile: Conheça algumas das músicas cantadas nas ruas

Victor Jara – foto: reprodução internet
Manifestantes em Santiago com as bandeiras do Chile e do povo indígena Mapuche – Foto: Susana Hidalgo

Por André Cult – Há mais de uma semana, o Chile vem ocupando espaço nos noticiários internacionais por conta da onda de protestos que tomou conta do país. Os chilenos saíram às ruas para exigir reformas sociais e as autoridades acabaram declarando estado de emergência com toques de recolher em várias regiões. Por isso, ao longo destes últimos dias, centenas de vídeos das manifestações viralizaram pelo mundo. Alguns para denunciar a gravíssima violência policial e outros para mostrar o povo cantando clássicos da música latino-americana, estes bem emocionantes, diga-se de passagem.

Los Prisioneros no metrô de Santiago em 1986 para a capa do álbum “Pateando Piedras” – foto: Jorge Brantmayer

Então, como nosso foco é a arte, vamos falar das três canções mais cantadas nas ruas daquele país. A primeira é “El Derecho de Vivir en Paz”, hino do cantor Victor Jara, que foi preso, torturado e teve suas mãos cortadas antes de ser fuzilado pela ditadura do general Augusto Pinochet, em 1973. A música é a que mais aparece nos vídeos compartilhados e em um deles, violinistas da cidade de La Serena aparecem tocando em meio a multidão. A letra original fala sobre a guerra do Vietnã, mas é possível fazer um paralelo com a situação atual. Veja abaixo este e o original:

Em outro vídeo emocionante, uma cantora lírica, ainda não identificada, canta de sua varanda “Te Recuerdo Amanda”, também de Victor Jara. Provavelmente a música mais conhecida do ídolo chileno em terras brasileiras. Veja abaixo a gravação que viralizou e em seguida a versão original.

Para finalizar, um dos maiores clássico do rock chileno: “El Baile de los que Sobran”, da banda Los Prisioneros. Escrita e composta por Jorge González, a canção fala claramente da desigualdade social e da falta de oportunidades para os jovens mais pobres. A banda encerrou suas atividades em 2006, mas dois dos três membros originais, Cláudio Narea e Miguel Tapia, voltaram a excursionar utilizando o nome Los Prisioneros Narea y Tapia. Gonzalez, vocalista, principal compositor e dono de uma bem sucedida carreira solo, se aposentou dos palcos em 2015 após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Veja a gravação das ruas e a original.

Como dito antes, estas foram as três músicas mais ouvidas nos vídeos que viralizaram pelo mundo, mas com certeza outras estão sendo lembradas de Arica a Magallanes. Fique a vontade para sugerir outras e mandar mais registros dos protestos musicais no Chile. ¡Viva Chile CTM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo