Apoio:
Anúncio

Radiocultfm

Diversidade Cult

Opala Road Internacional – Músicas para estrada

Por Luck Veloso – Quem tem mais de 40 anos, como este que vos escreve, cresceu gravando fitas k7, ou cassete, como preferir, para ouvir em vários lugares, de festas a encontros amorosos e é claro, no carro. Atualmente essa prática foi substituída pelas “playlists”, com um pequeno (e importante) diferencial dela poder ser ouvida não somente por você, mas por quem mais quiser acessar no planeta e isso é maravilhoso!

Então comecei a viajar no domingo ensolarado do Rio de Janeiro, na véspera do feriado de 7 de setembro, construindo uma playlist para eu poder ouvir enquanto rodo com o meu Opala Comodoro 1991. Ele está em reparos e isso me deu o tempo necessário para que eu possa ir listando com calma, todos os sons que eu amo, de vários estilos, enfileirados em uma ordem que para mim, contam uma história.

O mais louco (e legal) das playlists atuais nos serviços de streaming, é que você pode ouvir a lista alheia, assim como pode ouvir a minha e de repente, clicar em “ordem aleatória”, não precisando necessariamente, ´respeitar´a ordem na qual eu a montei, nascendo aí então, uma nova “história musical”. Isso é fascinante!

OPALA ROAD INTERNACIONAL

Batizei a playlist com o nome acima. É clichê, eu sei, mas foi o melhor que me veio à mente, então vou detalhar cada som que a compõe, que até o momento estão resultando em 55 minutos de música, tomara que você curta e caso isso aconteça, fique à vontade para mostra-la a alguém!

Peter Murphy
Peter Murphy

1 – Cuts You Up – Peter Murphy
Adoro essa música, ela tem uma introdução super emotiva e curto a parte da letra em que Peter derrama: “You know the way, It throws about, It takes you in, and spits you out…” – poesia pura! E vamos respeitar né, o cara foi vocalist do Bauhaus. Até espirro fica bom.

Peter Robert Garrett - Midnight Oil
Peter Robert Garrett – Midnight Oil

2 – The Dead Heart – Midnight Oil
Quando conheci essa música, em 1987, fiquei louco por ela imediatamente. A levada dançante me capturou de cara e posteriormente, viria a admirar ainda mais por entender a letra e o sentimento de protesto contido nela. Vale a pena ouvir muito e guardar a mensagem.

Duran Duran
Duran Duran

3 – A View To  A Kill – Duran Duran
O Duran Duran concorre seriamente com o Depeche Mode no meu coração, no quesito “fodas do pop”. Essa canção é um hino que recomendo a qualquer um que deseja pegar uma estrada.

Prince
Prince

4 – When Doves Cry – Prince
A esta altura você já percebeu que comigo é cabeça, tronco e membro nos anos 1980 né? Pelo menos no que escolho pessoalmente para mergulhar. O príncipe de Minneapolis provavelmente em sua melhor forma, nos deu esse presente eterno, merece umas aceleradas!

The Cult
The Cult

5 – Rain – The Cult
O The Cult muitas vezes é acusado de ser a inspiração para o nome do nosso site. A Radiocult nada tem a ver, embora realmente fosse uma ótima ideia. O nosso ´cult´ vem de Culturall, nosso primeiro site, nascido em 2001 e que em 2009, ganhou o apelido de ´Cult´. A banda de Ian Astbury e Billy Duffy é uma das minhas prediletas quando o tema é estrada e esse clássico do disco Love (1985) pede um vento na cara, ainda que usando cinto de segurança.

6 – Born To Be Wild – The Cult
Já que estamos com o pé na estrada e ouvindo The Cult, por que não deixar rolar o clássico do Steppenwolf, de 1969, na voz de Ian Astbury? Ninguém vai reclamar, com certeza.

Rolling Stones
The Rolling Stones

7 – Brown Sugar – The Rolling Stones
Uma playlist para ser ouvida na estrada jamais seria uma playlist de respeito sem os vovôs mais queridos do rock and roll mundial né? Ainda faltava um ano para eu nascer (1971) quando os caras já estava tocando isso e considero esse fato algo incrível! São mais de 50 anos de estrada e seguem pulando como garotos, som fundamental.

Scott McKenzie
Scott McKenzie

8 – San Francisco – Be Sure To Wear Flowers in Your Hair) – Scott McKenzie
Agora voltamos ainda mais no tempo. O ano era 1967 e boa parte da humanidade ainda vivia no clima “love and flowers”, paz e amor total da era Hippie e este foi um dos principais hinos que embalaram os corações, tornando-se eterna e claro, consta na minha playlist porque é boa demais para ser ouvida e cantada ao volante.

Global Deejays
Global Deejays

9 – The Sound Of San Francisco – Global Deejays
Se você não me conhece vai estranhar essa transição repentina para o eletrônico, mas quem é meu amigo sabe que meu coração musical é 50% rock e 50% digital. Sendo assim, é impossível eu ouvir a original de Scott McKenzie e não lembrar dessa releitura deliciosa do Global Deejays, lançada em 2005. Pista é adrenalina e seja de dança ou de pilotar, merece esse som!

Benny Benassi
Benny Benassi

10 – Satisfaction – Benny Benassi
Essa entrou porque tem praticamente o mesmo instrumental da anterior e claro, por conta de eu adorar a criatividade do Benny Benassi, que foi aproveitada no filme “As Branquelas”, de 2004, na clássica cena em que o personagem Latrell Spencer, interpretado pelo hilário Terry Crews, quando ele vai alucinado para a pista de dança e começa a fazer malabarismos.

Depeche Mode
Depeche Mode

11 – Route 66 (Beatmasters Mix) – Depeche Mode
Claro que a melhor banda do planeta (para mim, for sure), teria que constar na playlista para pista do Opala. Aqui eles aparecem com a clássica canção “Route 66”, que faz referência à estrada mais famosa do planeta. Aqui na versão do Beatmasters, os caras fazem um medley com a não menos clássica “Behind The Wheel”, também do Depeche. Para amantes das batidas e das pistas, em todos os sentidos.

Tom Jones e Prince
Tom Jones no clássico do Prince, com o The Art of Noise

12 – Kiss – Tom Jones
Que os fãs mais xiitas me perdoem, mas para pista, prefiro a versão do Tom Jones à do Prince. A edição do The Art Of Noise é perfeita e as inserções, cheias de samplers e o efeito da entrada dos metais ficou algo inacreditável de gostoso para quem ama dançar. Aumente e se solte, seja em que pista estiver!

Michael Hutchence
Michael Hutchence

13 – Mistify – INXS
Antes que a turma do rock and roll reclamasse, puxei a trilha de volta ao original, com esse clássico do INXS, na voz do saudoso Michael Hutchence, do disco Kick, de 1987. Mistify é também o nome do documentário sobre a vida de Michael, vale muito a pena ser visto!

Por enquanto são treze faixas que fazem parte do que considero a trilha sonora ideal para uma curta viagem de uma hora. Espero que você também goste e se quiser que eu acrescente mais sons, basta falar, boa viagem!

2 thoughts on “Opala Road Internacional – Músicas para estrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.