publicidade:

Radiocultfm

Diversidade Cult

Bates Motel e a abrangente trilha sonora

Bates Motel - divulgação
Bates Motel – divulgação

Por Luck Veloso – Recentemente comecei a acompanhar a série Bates Motel. Ok, não deboche de mim. Sei que estou um tanto atrasado, porém, com a avalanche de informaões que nos assolam a cada segundo, me permito alguns delays, daí que, para mim, tudo o que é visto, seja no cinema, nos serviços de streaming como Netflix ou até mesmo em curtas de amigos, precisa vir acompanhado de uma (boa) trilha sonora. A trama, que cinco temporadas, a quinta e mais recente feita em(2017) é produzida por Carlton Cuse, Anthony Cipriano e Kerry Ehrin. A série conta com um elenco estelar, a começar pelo sempre impressionante Freddie Highmore (The Good Doctor) e pela igualmente brilhante Vera Farmiga, como a mãe de Norman, entre outros, claro.

Bates Motel - imagem de divulgação
Bates Motel – divulgação

Fui catar o que havia sido publicado no Spotify sobre a série, que envolve os problemas e trapalhadas tensas e intensas entre Norma Bates e seu filho, Norman. A série, que é uma adaptação do filme Psycho (Psicose no Brasil), dirigido por Alfred Hitchcock, com autoria de Robert Bloch, lançado no ano de 1961. O interesse de Norman Bates por taxidermia, que consiste em uma técnica que preenche animais já mortos, com alguns materiais que permitem uma maior preservação, com fins de estudo.

Voltando à trilha sonora, é sempre algo muito fascinante por vários motivos. O primeiro, é que ela não precisa estar ligada a uma ideia cronológica ou até mesmo de gênero. A cama musical que envolve a trama é permeada por diversas canções, de diversas épocas da humanidade, mas que em determinado momento, serviram para esta ou aquela cena, para ajudar a compor certa parte de uma história. Isso é maravilhoso, porque permite tanto a quem cria quanto a quem assiste, um verdadeiro vôo num mar de possibilidades e senações.

Bates Motel – trilha sonora com músicas de várias décadas

Roy Orbison
Roy Orbison – divulgação

Foi assim que também me permiti ´voar´ ouvindo temas como “Crying“, de Roy Orbison, a sonoridade quase infantil de “Tonight You Belong To Me“, de Patience & Prudence, que apesar de ter sido lançada por eles em 2016, data de 1926, quando foi compostar por Billy Rose. Isso só para termos uma ideia da longevidade que pode ter o poder de uma boa canção. Outra pérola é “Call Me Irresponsible“, com Bobby Darin , de 1964. A canção também pode ser ouvida na voz do “The Voice”, Frank Sinatra, em versão de 1963 e em 2007 deu nome ao terceiro álbum de Michael Bublé. Além de tudo isso, ainda tem “Whatever Will Be, Will Be (Que Sera, Sera)” dos mestres Jay Livingston e Ray Evans , com Doris Day, um grande clássico de 1956, ganhadora do Oscar de Melhor Canção Original à época e a música que meu saudoso pai costumava entoar, quando voltava de suas noitadas. Eita emoção!

Doris Day
Doris Day – divulgação

A trilha segue, já que são cinco temporadas né? Haja som. Uma das que mais me impactaram foi, sem dúvida, “Who Is She“, do I Monster, do duo inglês formado por Dean Honer e Jarrod Gosling. A começar pelo clima catastrófico da bela canção, que aparece no segundo disco da dupla, Neveroddoreven, lançado em 2003 e é claro, pela arte da capa, com os caras vestidos em ternos, como se fossem duas moscas se preparando para uma bela foto. A beleza de imagens e histórias bem construídas se completa com a trilha sonora certa. Independentemente da temporada em que você estiver, permita-se esse prazer. Sente, feche os olhos e aprecie sem moderação.

Confira abaixo a playist sobre a série no Spotify:

Confira a lista completa das músicas que aparecem nas cinco temporadas de Bates Motel no site Tunefind

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo