Ringos Desert, segundo álbum de ZHU é um mergulho em sonoridades eletrônicas

Ringos Desert, segundo álbum de ZHU é um mergulho em sonoridades eletrônicas

1
92
0
quinta-feira, 13 setembro 2018
Culturall

Por Luck Veloso – Steven ZHU começou a nos mostrar seu refinadíssimo som a partir de 2014, quando presenteou o mundo com o single “Faded”. A partir daquele momento, os holofotes da música eletrônica se voltariam para ele e com razão. Em “Ringos Desert”, seu segundo álbum, fica evidente que a busca por sons super diferenciados e a construção de faixas pouco convencionais é o forte de ZHU, nome pelo qual é mais conhecido.

O novo trabalho possui 14 tracks, divididas em uma hora de um som de altíssima qualidade, que pode tanto alimentar pistas de dança para mentes mais antenadas com a dance music menos comercial, como também, servir de trilha sonora para inúmeras produções, dando ao trabalho de Steven um leque quase interminável de opções e denominações. Recentemente o músico americano atuou na produção de “My Blood”, de AlunaGeorge.

 O disco “Ringos Desert” mostra o claro amadurecimento de ZHU, desde o debut com “Generationwhy”, de 2016. Apesar de não ter um direcionamento para ´pista´ diretamente, o álbum possui momentos em que um remix, em boas mãos, poderão trazer grandes resultados. É certamente o caso da faixa “Desert Woman”, que possui uma linha de teclados misteriosa e hipnótica, o que a torna uma música impossível de não se dançar no primeiro instante, assim como a impactante “Save Me”, que conta com o belo vocal de Herizen Fawn Guardiola, atriz, compositora e cantora cubana. A faixa merece igual atenção.

Já em “Love That Hurts”, com Karnaval Blues e Indiana, cantora que assinou com a Sony Music em 2014 e, desde então, vem brindando trabalhos com sua voz deliciosamente suave, o climão ´downtempo´ torna a composição algo irresistível. Até quem não é adepto de BPMs tão baixos, vai se render, pois o que inicia parecendo ser apenas uma construção pop, vai aos poucos, se transformando em um verdadeiro caleidoscópio de elementos electro, com toques suaves de teclado, batidas pesadas, samplers e todos os elementos que tornam a música eletrônica algo mágico de se ouvir.

O disco está recheado de momentos no mínimo muito interessantes e se você é um bom pesquisador de sonoridades, invista um tempo e ouça do início ao fim, como quem absorve uma notícia boa. Além de se alimentar com excelente música, podem surgir ideias maravilhosas e, cá entre nós, é disso que o mundo tá precisando. Ouça e boa viagem!

 

Clique aqui para ouvir.

Hits: 59

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *