Plebe Rude e Zero em noite que mesclou novidades e clássicos

Plebe Rude e Zero em noite que mesclou novidades e clássicos

4
163
0
domingo, 10 junho 2018
Culturall

Por Luck Veloso e André Luiz Costa – O Circo Voador recebeu as bandas Zero e Plebe Rude no sábado, 9 de junho, onde juntos, celebraram mais uma vez uma das mágicas que os anos 1980 produziram: as letras elaboradas e que nos fazem refletir, indo do amor à temática social, incluindo aí pitadas de contestação.

A noite iniciou com o lendário DJ José Roberto Mahr despejando seus sons cheios de estilos e referencias nas caixas do Circo, sons estes que ajudaram a formar a opinião e o gosto musical de muita gente (incluindo deste que vos escreve), através de décadas de programas em diversas rádios, como a extinta Fluminense FM, RPC, Rádio Cidade e outras pelo Brasil.

O Zero entrou no palco um pouco depois das 23h, com a pista ainda parcialmente ocupada. A imagem de Guilherme Isnard, seu ícone maior, mantém o grupo na memória de quem viveu a época do auge de suas canções, ainda mais com as diversas formações pelas quais a banda passou, desde o surgimento, em 1983.

Guilherme fez uma aposta ousada ao optar por mostrar músicas novas em praticamente 70% do show, o que deixou a plateia bem quieta, porém com um olhar atento, procurando absorver as novidades, já sabendo que a usina criativa chamada Isnard emana letras de altíssima qualidade, falando sobre amor como poucos.

Acompanhado por músicos de altíssimo nível (como o próprio fez questão de dizer: uma banda ´Friburguense´), Isnard cantou junto aos músicos Daniel Viana na guitarra, Gustavo Wermelinger na bateria, Caius Marins nos teclados e Nivaldo Ramos no baixo.

A causa era ganha e o Zero precisou apenas administrar bem o desafio de mostrar as novidades e costurá-las com os hits que deram a merecida longevidade que o grupo mantém, com sucessos vindos dos dois primeiros discos, “Passos no Escuro” (1985) e “Carne Humana” (1987), além de uma bela versão de “Eu Sei”, da Legião Urbana. Para anunciar o cover, Guilherme disse que ele e Renato Russo sempre mostravam um ao outro suas novas composições. Visivelmente emocionado, o cantor agradeceu diversas vezes pela ´oportunidade´, segundo ele, de terem sido convidados a participar da noite, que estava apenas começando, pois viria a Plebe Rude, o prato principal.

Aliás, a Plebe Rude acertou demais ao capturar o Clemente para ocupar um lugar até então tido como quase impossível, ou seja, substituir a emblemática segunda voz de Jander Bilaphra, que ajudou a Plebe a ficar nacionalmente conhecida. O grupo vem adotando há tempos um formato bem grande de show para uma banda que nasceu no Punk Rock, o que ajudou a diversificar bastante o set, com músicas de diversas épocas, privilegiando no meio os grandes hits, conhecidos do público e raridades dos primórdios da carreira, incluindo demos lançadas antes do “Concreto Já Rachou” (1986). Os clássicos estavam todos lá: “Voz do Brasil”, “Brasília”, “Johnny Vai à Guerra”, além de “Censura”, “A Ida”, “Sexo e Karatê”, “Minha Renda”, “Proteção” e “Até Quando Esperar”.

 

Como a Plebe tem muitos anos de carreira, claro que Seabra e banda optaram por espalhar as não tão divulgadas em meio aos hits, em sons como “Um Outro Lugar”, “Pressão Social”, “O Que se Faz” e “Sua História”, além de apostarem em covers clássicos como “Medo”, do Cólera,“Beds Are Burning”, do Midnight Oil, um trecho de “Highway Star”, do Deep Purple, e o encerramento com “Rock The Casbah”, do The Clash, entre outras. Para quem ama boa música e os ensinamentos do punk rock, nada poderia ter sido mais perfeito. Que voltem logo à Cidade Maravilhosa e à Lona do Circo!

Set List Plebe Rude:

01- Voz do Brasil
02- Brasília
03- Johnny Vai a Guerra
04- Tá Com Nada
05- Luzes
06- Censura
07- Um Outro Lugar
08- Anos de Luta
09- O Que Se Faz
10- Sua História
11- A Ida
12- Esse Ano
13- Dança do Semáforo
14- Pressão Social
15- Festas
16- Medo
17- Sexo & Karatê
18-Minha Renda
19- Proteção
Bis
20- Discórdia
21- Disco em Moscow
22- Beds Are Burning
23- Até Quando Esperar
Bis
24- Códigos
25- Rock The Casbah

Set List Zero:

01- A Culpa Não é o Amor
02- Centúrias
03- Canção Proibida
04- Formosa
05- Os Anjos Dizem Amém
06- Estrelas
07- Os Olhos Falam
08- Heróis
09- Abuso de Poder
10- Gravidade Zero
11- Agora Eu Sei
12- Labirinto 21
13- Quimeras
Bis
14- Eu Sei
15- A Luta e o Prazer.

Hits: 166

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *