Fausto Fawcett segue alucinante e maravilhosamente doentio

Fausto Fawcett segue alucinante e maravilhosamente doentio

1
411
1
quarta-feira, 23 janeiro 2019
Culturall

Nem Queiroz (texto e fotos) – Esperar que Mr. Fausto e seus robôs efêmeros sejam mais do mesmo, é sem trocadilhos, ser mais do mesmo de si mesmo. Foi assim nesta sexta e sábado, 18 e 19 de janeiro, na sala Baden Powell em Copacabana. Com uma banda novinha em folha, tendo à frente, nas guitarras e vocais, o fabuloso Fábio Caldeira; Gabriela Camilo teclados e programações e ainda o grande Laufer no surdo e vocais e também programações, com Jodele Larcher como Vj Eletroiman e projeções.

Mas…o que teria dessa vez o mago das abstrações efêmeras para nos mostrar!? O indefectível mundo cão futuro doentio! Só mesmo Fausto para nos sacudir de tal maneira a ficarmos pasmos, vidrados, sem piscar, enquanto ele numa primeira parte do show nos conta sobre o seu projeto, como que numa sala de aula, com direito a projeções e obscuridades de toda a ordem. Enquanto eu fotografava, observava e imaginava que tipo de alucinações tudo aquilo podia estar causando!

Muita força e coragem para cravar quase meia hora de explanação literária, palavras que na boca de outro poderiam causar bocejos e desistências. Mas esse é o Fausto! O nosso Fausto! Cronista de mão cheia, que entorpece e delira, que confia e acredita, que nos faz entorpecer, delirar, confiar e…viajar!

“Nuvens de James Brown” não é para qualquer um!

“Cachorrada doentia- ficção científica psicoBélica de terceiro mundo sobre a quarta guerra mundial que está em curso!”

Assim ele define a obra. Imagina então o surto! A viagem! Fausto é Van Gogh com Salvador Dalí que entra e fica à vontade dentro de nossas mentes para pintar as mais fantásticas figuras de linguagem e multiplicações de imagens criadas de uma convicção quase”doentia” do que o futuro nos reserva dentro da sua cabeça. É ficção pura! Da Boa! De deixar entorpecido. Doido mesmo. É preciso mais que atenção para capturá-lo, uma pitada de loucura em mentes sãs. Um esforço pra alguns, uma odisseia para outros, uma overdose de versos diversos e contra versos, neste mundo fantástico de Fausto Fawcett e seus Robôs Efêmeros! Uma Matrix ditada, olho no olho. O universo paralelo escancarado bem a nossa frente, uma adrenalina, um choque. Estamos noutra dimensão!

Um soco no estômago! Não! No cérebro mesmo!

Parafraseando o próprio Fawcett em Favelouralove, na desconstrução da palavra o cérebro se desloca, cara!

Em duas palavras neste mundo doentio: Fascinante, sensacional. Mas não pra qualquer um.

Nem Queiroz, o fotógrafo observador.

Hits: 78

One Comment

  1. Isso! Na veia! Ainda tô digerindo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *